Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Salve as Tradições Sertanejas!

Eu não tenho medo de lobisomem, nem de fantasma, nem de alma penada ou qualquer coisa que o valha. Também não concordo com a pirataria, com a picaretagem e tampouco com o que faz um bando de imbecis que estão deturpando o que nós acreditamos ser cultura popular. Um bando de indivíduos que se dizem empresários e produtores culturais estão dilapidando a cultura nordestina e as tradições sertanejas em nome de seus interesses comerciais e seus vícios empresariais, vendendo um peixe podre e trocando uma mercadoria ruim (a música do axé baiano) por um artigo de luxo que é o forró e o baião, e o xaxado, e o galope, e o repente, e o coco e toda tradição da nossa música pelo fácil e repetitivo som dos batuques e das letras de duplo sentido quer nada acrescentam culturalmente à nossa nação nordestina. Temos todos nós nordestinos, o dever de combater e defender as nossas raízes desses mercenários que se dizem produtores culturais. Já não basta a invasão do carnaval com a música de péssima qualidad…

O Cordel em alta

O ministério da Cultura está de Parabéns pelo lançamento do Edital Patativa do Assaré de Cordel que visa a edição de livros inéditos e reeditados; produção e divulgação da poesia de cordel através da mídia, de festivais e concursos, amostras, pesquisas e produção de Cd, Dvd e projetos que divulguem essa arte tão contemporânea e tão importante para o resgate de nossas tradições nordestinas.                O poeta de Cordel está comemorando um ano de muitos progressos, primeiro porque o Presidente Lula sancionou o projeto de lei que criou a profissão do poeta cordelista e agora, o ministério da cultura lança esse edital. Quem quiser saber mais é só acessar: http://www.cultura.gov.br/                                                            Mais dois editais estão abertos: o edital bnb de cultura e o Itaú Cultural, ambos da maior importância no cenário nacional por incentivo à cultura brasileira.
Edilberto Abrantes.

A Nossa Cultura descentralizada

A cultura brasileira de um modo geral está avançando a passos largos para alcançar um nível de destaque no cenário nacional com as mudanças ocorridas na mentalidade do cidadão brasileiro e a política de descentralização do governo federal, que desde o Ministro Gilberto Gil quando realizou a I Conferência Nacional de Cultura tem implementado mecanismos para o desenvolvimento e o fortalecimento de equipamentos culturais materiais e imateriais. Um exemplo disso é a Secretaria da Diversidade Cultural no seu trabalho de resgate às diversas expressões culturais existentes no país, fazendo o mapeamento da riqueza cultural de nosso país de forma ampla e ostensiva com programas de incentivo a essas expressões como os mestres brincantes, os mestres artesãos do couro e do barro, as tradições ciganas, quilombolas, sertanejas, as bandas cabaçais e os grupos de maracatú, etc e toda sua diversidade cultural. O Ministério da Cultura tem desenvolvido esse…

O São João Chegou!

Chegou o São João e toda a magia da fogueira, dos terreiros de forrós, da tradição sertaneja e seus costumes que identificam esta terra como uma das mais alegres do mundo, com seu cheirinho gostoso de mato, suas raízes, sua cultura, sua poesia de cordel e matuta, repentistas e sanfoneiros verdadeiros representantes de nossa imensidade musical e regional, tocando em salão de chão batido, chão de barro casa de palha, bandeirolas e candeeiros com sua luz bruxuleante iluminando as noites de São João pelas veredas do sertão nordestino. Somos um continente de festejos irmanados pelos estados do nordeste e todas as suas comemorações e sua diversidade de patrimônio como as quadrilhas juninas, as brincadeiras de pau-de-sebo, as crenças das moças casadouras que enfiam uma faca no tronco da bananeira na noite de São João para descobrir o nome do príncipe encantado. Os céus do sertão se iluminam de fogos de artifícios e balões que riscam o céu enfeitando com as fogueiras…

O fio da meada!

Outro dia numa manifestação popular em prol da Semana do meio-ambiente fiquei espantado com o desrespeito cometido contra as pessoas e contra nossos mais significativos símbolos cívicos municipais como o nosso hino  e a nossa bandeira. Um grupo de crianças capitaneados por uma professora do ensino fundamental, parodiava o hino municipal e ainda sorria... O que me deixou mais triste foi que o desrespeito partiu de professores da rede de ensino municipal que tratou o hino de forma vil parodiando a sua letra, cometendo uma grave falta de patriotismo e civismo, e ainda mais grave passando esse gesto desrespeitoso para crianças do ensino fundamental. Será que os educadores perderam a noção de sua missão como formadores de opinião? Será que o ceticismo está desvirtuando nossos mestres e professores na sua jornada educacional, a ponto de perder a noção do que seja certo ou errado? Ou está baixando o nível dos professores nas nossas escolas, que sequer tem noção da importância de nossos símbo…