Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

Zé do Norte, um ícone da música Sertaneja!

Zé do Norte - Biografia Alfredo Ricardo do Nascimento nasceu em Cajazeiras (PB), em 18 de dezembro de 1908. Era cantor, compositor, poeta, folclorista e escritor, mas antes de desenvolver tantas atividades intelectuais, pegou no pesado. Trabalhou desde os nove anos na enxada, no sertão do Estado. Depois foi apanhador de algodão e tropeiro. Sempre cantou, mas não imaginava que isso iria tornar-se uma atividade profissional.
Em 1921, foi para Fortaleza, alistou-se no Exército e acabou indo servir no Rio de Janeiro, morando, mais tarde, próximo ao morro de Mangueira. Convidado por Joracy Camargo, atuou no show Aldeia Portuguesa, obtendo grande sucesso com uma embolada de sua autoria.
Acabou sendo levado para a Rádio Tupi onde cantou adotando o pseudônimo de Zé do Norte, em 1940. No ano seguinte, foi para a Rádio Transmissora Brasileira (atual Rádio Globo) e participou de programas, como Desligue, Faz Favor e Hora Sertaneja. Passou depois para as rádios Fluminense, Clube do Brasil, Guanabara…

Julho no Cinema

Entre os meses com datas comemorativas, Julho não é lá desses meses bom de feriados - como pedem os brasileiros mais labutosos. O mês sete tem escassas datas dignas de festas: dia da liberdade de pensamento, dia do escritor, dia da vovó, dia do agricultor e o mais famoso - dia 13 - o dia internacional do rock.

Tudo isso foi dito só para lembrar deste mês que é, tradicionalmente, o mês "de férias" no Brasil e que em 2010 abre-se como calendário de CINEMA NO ALTO SERTÃO PARAIBANO. Quer ver, digo, ler? Então preste atenção.

Como nunca antes na história desse país, a cidade sorriso está com uma mostra de Cinema que envolve 10 títulos da cinematografia brasileira, paraibana e sertaneja. Falo da primeira MOSTRA BRASIL DE CINEMA que estará acontecendo nesta próxima semana no Centro Cultural Banco do Nordeste Sousa-PB.

Entre os filmes conhecidos do grande público estão: Orquestra dos Meninos, Caramuru - a invenção do Brasil, Se Eu Fosse Você 2 e Dois Filhos de Francisco. Entre os f…

Os Estúdios Analógicos e o Vinil estão de volta!

Não é nenhuma novidade o que está de volta, mas pode ser uma grande saída para a indústria fonográfica que nos últimos tempos anda combalida e cambaleante. Está de volta o Vinil, o velho bolachão, os discos de Vinil que tantos admiradores e colecionadores tem pelo mundo, e não é só isso, em questão de sonoridade os estúdios analógicos bem como a Fita Cassete também está voltando! As gravadoras estão surgindo novamente e investindo nos velhos estúdios analógicos que particularmente são muito melhores do que os atuais digitais, que em termos de praticidade e tempo são uma saída, mas pelas arte e pela qualidade e sonoridade inigualável não há comparação com os analógicos pelo timbre, pela percussão, pela riqueza dos detalhes e pela improvisação, pela virtuosidade dos músicos de voce sentir a essência musical sem truques ou armação, como se voce estivesse num show ao vivo!
edilberto abrantes

Sucesso na Feira!

Sucesso total na Feira Matriz das Artes na noite ontem 04/07 um domingo espetacular e cheio de atrações com NETO DO ACORDEON e seu Show Gonzagueando que fez o chão da praça tremer num grande arrasta-pé em frente ao palco do Coreto, mostrando toda a versatilidade e ritmo de Neto e sua sanfona mágica. Em seguida entrou a quadrilha infantil FORRÓ DO SERTÃO que fez uma grande apresentação com coreografias de gente grande e enchendo os olhos de alegria e admiração a quem vê sua dança. Sua passagem pela feira engrandeceu o evento e ajudou a consolidá-lo mais ainda junto à sociedade sousense que carece desse banho cultural e diversidade para incorporar as iniciativas do poder público em prol da cultura. Para fechar a noite o Show do FORRÓ MEL foi eletrizante e não deixou ninguem sossegar, mexendo com o astral e embalando a noite com a nossa músicas nordestina transformando a praça Matriz das Artes num grande arraial em que a sociedade sousense se confraternizou na mais contagiante alegria e e…

Vamos falar de Cultura?

Outro dia alguem me cobrava pela cultura do município, por mais ações em favor da cultura, por medidas mais efetivas que pudessem evoluir e acabar com essa calmaria cultural tão presente em nossa região, sem cinema, sem teatro, sem um conservatório de música, uma escola de danças, um Centro de Tradições Nordestinas, um Museu Municipal.
Na verdade as pessoas precisam entender que fazer cultura nesse país é muito difícil, em primeiro lugar requer muito envolvimento da sociedade e da comunidade em geral que quer ser contemplada com bens culturais, e dos ativistas culturais pessoas ligadas a cultura para que se possa discutir e planejar o setor cultural promovendo ações e elegendo prioridades para se trabalhar, para que aconteça alguma coisa dentro da cultura, não é só querer, tudo requer muito trabalho. Eu não sou adepto do pensamento rudimentar e ultrapassado de que para se fazer cultura seja preciso carregar paus e pedras e agir como um trabalhador braçal carregando o equipamento nas cos…

Adeus Radegundis!

A paraíba perdeu um de seus maiores músicos contemporâneos na última quinta-feira 01/07/10 RADEGUNDIS FEITOSA! Grande pelo seu virtuosismo, pela sua bagagem instrumental, pela sua formação acadêmica, era Mestre e Doutor em trombone e Professor da Universidade Federal da Paraíba. Vítima de acidente automobilístico quando voltava para casa em Itapotanga, o músico morreu com mais três companheiros músicos de forma trágica. Não cheguei a conhecê-lo pessoalmente, mas o admirava pela sua persistência em trabalhar com um instrumento tão difícil como o trombone. Radegundis tocou no Centro Cultural Banco do Nordeste em Sousa-PB encantando a todos e arrancando aplausos de matutos e urbanóides quer foram ao show dele e o Sexteto Brassil. Foi um sucesso. Com a perda de Radegundis Feitosa, a paraíba perde mais um grande nome da nossa música instrumental como Sivuca e Canhoto da Paraíba. Estamos de Luto.
Edilberto Abrantes.