Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

Prêmio Jabuti 2011

CBL - Destaque Principal




As inscrições começaram em 23/03 e terminam em 31/05, a premiação acontecerá no dia 30 de novembro na Sala São Paulo. Nesta que é a edição 53, o Prêmio Jabuti tem novo regulamento. Haverá apenas um finalista em cada uma das 29 categorias. E entre os 29 laureados sairão os vencedores de Livro do Ano de Ficção e Livro do Ano de Não-Ficção. Serão anunciados dez selecionados de cada uma das 29 categorias no dia 13 de setembro. Já o anúncio dos 29 finalistas acontece no dia 18 de outubro. Em 2010, as inscrições alcançaram marca recorde de 2.867 obras competindo. As inscrições podem ser feitas por editores, escritores, escritores independentes, tradutores, ilustradores, produtores gráficos, designers diretamente no site www.premiojabuti.org.br.

Novo endereço para a entrega dos livros inscritos

Os livros concorrentes ao 53º Prêmio Jabuti, devem ser entregues na Avenida Ipiranga, 1.267 - 10º andar - Centro - SP - CEP 01039-000 - Brasil.

Músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira são demitidos

Desde terça-feira (29/3), os 41 músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) que se rebelaram contra as avaliações de desempenho convocadas pelo diretor artístico e regente titular, Roberto Minczuk, começaram a ser demitidos por justa causa. É o que informa O Globo nesta quinta-feira (31/3).

A fundação que administra a OSB convocou os insurgentes, um a um, para comparecerem à sua sede para tratar do assunto. Segundo o presidente da comissão de músicos, Luzer Machtyngier, a intenção do grupo era não atender ao chamado.

O Globo pesquisou o sistema de avaliação de desempenho de seis orquestras de renome: as filarmônicas de Berlim, Israel e Nova York, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), a Petrobras Sinfônica e a Filarmônica de Minas Gerais. Em nenhuma delas os músicos são submetidos a provas para se manter no cargo.

Sob o comando do maestro John Neschling, a Osesp chegou a fazer testes internos em 1997. Minczuk era diretor artístico adjunto da instituição. Mas os mús…

MinC reconhece aperto e cancela fundos setoriais

Enquanto a polêmica em torno da reforma dos direitos autorais tomou os holofotes nos primeiros meses de Ana de Hollanda à frente do Ministério da Cultura, paulatinamente a saúde financeira da pasta chama a atenção como preocupação da nova administração. A informação é do jornal Valor Econômico desta quinta-feira (31/3).

De um inédito orçamento estipulado em R$ 2,1 bilhões pela Lei Orçamentária de 2011, houve redução de R$ 766 milhões em razão do veto presidencial de de R$ 237 milhões e contingenciamento de R$ 529 milhões. Para completar, de acordo com o secretário-executivo do MinC, Vitor Ortiz, os restos a pagar deixados pela gestão anterior somam R$ 450 milhões.

“Será um ano apertado, de organização da casa, ajustes e avaliação dos programas e processos futuros. Em um ano difícil como esse, estamos orientando nossos secretários a realizar planejamentos a longo prazo, pensando nos próximos quatro anos”, afirma Ortiz.

De passagem por Salvador, no mês passado, a ministra responsabiliz…

É preciso mudar o modelo

ALFREDO MANEVY*

A autorização do Ministério da Cultura para Maria Bethânia captar recursos reacendeu discussão sobre o papel das verbas oficiais para a cultura. No varejo, o debate abriu espaço para teses do arco da velha, como a proposta de extinção do Ministério da Cultura ou o linchamento e culpabilização da artista.

Na verdade, Bethânia foi vítima da ilegitimidade da lei tal como ela se apresenta hoje. O debate foi positivo no fim: consolidou a percepção de que o sistema tem distorções e que, no lugar de crucificar uma artista fundamental, a modernização da legislação é o melhor caminho.

A renúncia fiscal é dinheiro público, aponta o Tribunal de Contas da União. Integrante do Orçamento, a previsão de renúncia é finita e contabilizada, embora de difícil controle e acompanhamento. Logo, é justo discutir os critérios de sua distribuição.

O papel do Estado no apoio à cultura é fundamental para a democracia e para o desenvolvimento econômico. A percepção precoce dessa importância está…