Pular para o conteúdo principal

Acauã Produções Culturais comemorará Duas Décadas de Cultura!

Duas décadas de intensa produção cultural está sendo comemorada pelos membros, militantes, admiradores da Acauã Produções Culturais e por todos os que fazem a cultura do sertão da Paraíba, no próximo dia 01 de dezembro.

Fundada em 01 de dezembro de 1990, a Acauã Produções Culturais – ONG cultural da cidade da Aparecida, chega aos 20 anos com um enorme currículo cultural iniciado no teatro, enveredado pela música, literatura, artes plásticas, comunicação e audiovisual.

Ao longo desses 20 anos, a APC montou cinco espetáculos teatrais, participou de vários festivais musicais, promoveu o I Festival Acauã de Música Popular e produziu vários CDs com artistas da região.

Na literatura, além da participação e premiação em vários concursos e festivais em nível nacional, a APC se destaca pela realização do FESERP – Festival Sertanejo de Poesia, prêmio Augusto dos Anjos, evento considerado um dos maiores do gênero no Norte/Nordeste e que chega este ano a sua décima sexta edição, coroado pelos nomes que compuseram a comissão julgadora, a exemplo de Ariano Suassuna, Pedro Osmar, Vital Farias, Elomar Figueira, Xangai, Cátia de França, Braúlio Tavares, dentre outros. Ainda na literatura o grupo é responsável pela publicação de sete livros: cinco Antologias Poéticas do FESERP (1996, 2000, 2003, 2005 e 2009); uma Coletânea de Poesia Rimas do Sertão (1999) e a Cartilha Aparecida - um canto na Paraíba (2002), ambos sob a organização de Laercio Ferreira Filho.

A Acauã Produções foi uma das pioneiras no sertão da Paraíba, na luta em defesa da democratização dos meios de comunicação instalando assim, a Rádio Comunitária Acauã FM, em 1998. Hoje, a emissora se encontra autorizada pela ANATEL, com outorga do Ministério das Comunicações e mantém diariamente uma programação voltada à valorização das raízes da cultura nacional.

Outro grande feito da Acauã nestes 20 anos, tem sido a luta pela restauração, preservação e revitalização do Conjunto Histórico da Fazenda Acauã - Patrimônio Cultural tombado pelo IPHAN desde 1967- motivo do nome da instituição, situado no município de Aparecida. Neste conjunto se encontra instalado o Ponto de Cultura Caminhos de Acauhan, uma parceria da APC com o IPHAN e o Ministério da Cultura.

Na sede do município, a ONG é responsável pelo Ponto de Cultura Casa Antônio Nóbrega, espaço destinado às práticas culturais, dotada do Cine Clube Charles Chaplin, com exibições cinematográficas e videográficas todas as quinta-feiras, do Núcleo de Audiovisual João Carlos Beltrão voltado para a formação e produção audiovisual no sertão, responsável por várias produções como Memória Bendita, O Apóstolo do Sertão e As Trapalhadas de João Teimoso de Laercio Filho; Manoel Inácio e a Música do Começo do Mundo e O Velho do Rio de Leonardo Alves, além de oficinas e cursos de formação e capacitação.

Toda essa história tem rendido à Acauã, inúmeros prêmios e homenagens, dentre elas: os Votos de Aplausos da Câmara Municipal de Aparecida, da Assembléia Legislativa da Paraíba e do Conselho Estadual de Cultura, o Prêmio Zé do Norte de Cultura Sertaneja, na categoria entidade cultural, além da Medalha Augusto dos Anjos, a mais importante comenda cultural concedida pela Assembléia Legislativa da Paraíba.

A entidade é tida como exemplo para outras instituições em todo o estado, motivo pelo qual tem assessorado várias iniciativas culturais, fortalecendo o que os seus diregente chamam de corrente de produtores e admiradores da cultura sertaneja.



A programação:

Para comemorar os 20 anos de fundação, a diretoria que tem à frente o historiador José França de Oliveira, preparou uma programação que começa no dia 01 de dezembro e se estenderá por todo o ano de 2011. Para dezembro, a programação será a seguinte:

Dia Evento Local

01/12 Entrevista do Presidente da APC ao Programa Bom Dia Sertão da Rádio 104 FM de Sousa, em conexão com a Rádio Acauã FM Comunitária de Aparecida (07:30h.)

Sousa e Aparecida - PB

Inauguração do Monumento aos 20 Anos da APC com apresentação Cultural (20:00h.)

Praça Pública

16/12 Sessão Especial do Cine Clube Charles Chaplin com a exibição de um Clip dos 20 Anos da APC e do filme “O Céu de Sueli”, com a presença da atriz Marcélia Cartaxo. (19:30h.)

Ponto de Cultura Casa da Cultura Antonio Nóbrega

17/12 Solenidade de comemoração dos 20 anos da APC, com entrega de comendas aos associados e principais colaboradores. (20:00h.)





Fina Flor Clube

Premiação do XVI FESERP. (21:00h.)

Show musical com o grupo Jaguaribe Carne da cidade de João Pessoa. (21:30h.)


Parabéns a Acauã Produções pelos seus  XX ANOS!








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

José Queiroga de Melo, Obrigado Maestro!

A Banda de Música Municipal "13 de Maio" da cidade de Sousa teve sempre como um grande referencial na sua trajetória musical na região a genialidade de grandes músicos e profissionais do mais alto conhecimento da música de dobrados, polcas e hinos, conteúdo mais que indispensável para as apresentações da banda nos eventos festivos e datas comemorativas da municipalidade, tendo um naipe de grandes musicistas a serviço da Banda de Música 13 de Maio e dentre eles o grande Maestro José Queiroga de Melo que dedicou a sua vida à música e a formação musical de uma geração que se espelhava nele para produzir música e contribuir com a cultura sousense como assim fez o grande maestro. José Queiroga de Melo foi o grande ícone de uma época de ouro, quando no início dos anos 1970 dirigia de forma magistral e soberana a Banda de Música 13 de Maio que entre seus músicos reinavam os mestres Zé Cassiano, o mestre Dui, Nego Chico, Chico Cruz, Dedé Cruz, Edmilson Gadelha, Mané Zuza, Chico do …

Zé do Norte, um ícone da música Sertaneja!

Zé do Norte - Biografia Alfredo Ricardo do Nascimento nasceu em Cajazeiras (PB), em 18 de dezembro de 1908. Era cantor, compositor, poeta, folclorista e escritor, mas antes de desenvolver tantas atividades intelectuais, pegou no pesado. Trabalhou desde os nove anos na enxada, no sertão do Estado. Depois foi apanhador de algodão e tropeiro. Sempre cantou, mas não imaginava que isso iria tornar-se uma atividade profissional.
Em 1921, foi para Fortaleza, alistou-se no Exército e acabou indo servir no Rio de Janeiro, morando, mais tarde, próximo ao morro de Mangueira. Convidado por Joracy Camargo, atuou no show Aldeia Portuguesa, obtendo grande sucesso com uma embolada de sua autoria.
Acabou sendo levado para a Rádio Tupi onde cantou adotando o pseudônimo de Zé do Norte, em 1940. No ano seguinte, foi para a Rádio Transmissora Brasileira (atual Rádio Globo) e participou de programas, como Desligue, Faz Favor e Hora Sertaneja. Passou depois para as rádios Fluminense, Clube do Brasil, Guanabara…